Busca

O UNIVERSO MUSICAL
Quem Somos
Expediente
Cadastro
Publicidade
Fale Conosco
LINKS EXTERNOS
Blog
Universo Produções
Site Marcos Bin
Orkut
MySpace
Enquete
Você é a favor do ensino obrigatório de música nas escolas, como defendem alguns artistas? Acesse nosso blog e dê sua opinião!
  Vaidade: um disco denso, ou, como prefere Djavan, diferente

Divulgação/Marcelo Faustini
Para seu novo trabalho, Djavan decidiu manter a banda com a qual vem trabalhando desde seu último disco, Milagreiro

Por Marcos Paulo Bin
01/07/2004

Nesta quinta, 1º de julho, chega às lojas Vaidade, o 16º disco de Djavan e o primeiro por seu selo, Luanda Records. São 12 faixas, todas compostas por ele, sem parceiros. Além de cantar e compor, Djavan é responsável pela produção, pelos arranjos (gerais e de cordas) e pelas guitarras e violões.

Mas o polivalente Djavan delegou a Luiz Avelar a regência dos instrumentos de cordas, que pontuam boa parte do CD. Cinco faixas são abrilhantadas com instrumentos como spala, violinos, violas e violoncelos, enquanto outras três ganharam instrumentos de sopro, fazendo de Vaidade um disco bem denso. Djavan não sabe dizer se é o trabalho mais profundo de sua carreira; para ele, a melhor definição é diferente.

"Se eu pudesse acordar uma nova pessoa a cada manhã, iria adorar. Todo mundo quer se reinventar; você quer estar sempre novo em cada época de sua vida. Ser diferente em cada trabalho é para mim uma questão de estilo de vida", disse Djavan, na coletiva na sede de seu selo.

Vaidade marca alguns reencontros, confirma certas coisas e mostra novidades na vida de Djavan. Na primeira categoria, está a volta da parceria com Luiz Avelar, músico consagrado com quem o alagoano começou a carreira, montando, em 1979, sua primeira banda, Sururu de Capote. Avelar, renomado no meio musical, tornou-se conhecido do grande público ao lançar uma série de discos em que relia, ao piano, a obra de mestres de MPB, entre eles Djavan, cujos volumes foram os mais vendidos.

Outro que volta a conviver com Djavan é o saxofonista Marcelo Martins, que durante muitos anos fez parte da banda do cantor, ao lado de nomes importantes como Carlos Bala (bateria), João Castilho (guitarra) e Cecília Spyer (backing vocals). Depois da turnê do multiplatinado Ao Vivo, Djavan dispensou quase toda a banda, chamando apenas novos talentos, entre eles os filhos Max Viana (que já tocava com o pai) e João Viana (ex-baterista de Cássia Eller).

Mas, à exceção de Marcelo, a banda que gravou Milagreiro - último disco do cantor, que sucedeu a Ao Vivo - está mantida.

"Acho que agora a banda, que é formada por muitos jovens, está no ponto. O Marcelo é um auxílio luxuoso; ele está no melhor momento de sua carreira. Minha intenção é ficar com esse time por mais dois anos. Depois desse trabalho, não sei o que vai acontecer", contou Djavan.

Uma novidade do CD é que, desta vez, Djavan levou mais tempo no estúdio do que de costume. Enquanto Milagreiro levou apenas dois meses e meio para ficar pronto, Vaidade levou seis meses.

"Talvez tenha sido meu disco mais longo. Ele foi mais minucioso, com arranjos de cordas que envolveram 20 pessoas. Fiquei exaurido ao final", relatou.

O processo de criação teve uma peculiaridade, mas que para Djavan já tornou-se normal. Ele entrou no estúdio apenas com uma música pronta, Celeuma, que havia composto para Mart'nália, e as melodias de Se Acontecer, Sentimento Verdadeiro, Dia Azul, Bailarina e Dorme, Sofia. O restante foi sendo feito ao longo dos seis meses.

"Isso tem se repetido nos últimos anos. Sempre entro no estúdio com poucas músicas, sem letra. Gosto de compor com a atmosfera do estúdio", disse Djavan, citando como exemplo a música que abre o disco, Se Acontecer, que já entrou para a trilha da novela global "Senhora do Desejo". "Quando gravei só a música, o pessoal do estúdio sentiu que ela tinha potencial para ser a primeira faixa de trabalho. Eu não achava. Depois que fiz a letra, isso se confirmou, pois o Mariozinho Rocha (quem decide os temas musicais das novelas da Globo), quando a ouviu, ficou encantado e na hora a escolheu para ser tema de 'Senhora do Desejo'."

Refinado e popular

Se Acontecer é uma balada densa, marcada pela forte presença das cordas, mas não é a melhor faixa do CD. A que vem a seguir, Flor do Medo, é a que mais se desponta,  tendo aquela típica guitarra suingada que tornou hits músicas como Eu Te Devoro e Acelerou. Outros bons momentos são Mundo Vasto e Celeuma, que remetem ao Djavan sambista, autor de pérolas como Serrado, Flor de Lis e Fato Consumado.

Amor Algum mistura pop radiofônico com momentos mais introspectivos. O romantismo encontra espaço em Sentimento Verdadeiro, Dia Azul (bela canção) e Bailarina. O repertório é completado com Tainá-Flor, tema do filme "Tainá 2" (que será lançado no início de 2005); a balada Estátua de Sal; Dorme, Sofia, uma vinheta que Djavan compôs para a filha caçula quando ela tinha quatro meses; e a faixa-título, uma canção semiinstrumental (há poucos vocais) com a participação do bandolinista Hamilton de Holanda.

Esta última mereceu um capítulo à parte de Djavan na coletiva. Perguntado se é vaidoso, o cantor pensou e disse um não meio relutante.

"Minha vaidade é uma só: fazer tudo o melhor possível", disse Djavan, sem convencer os jornalistas, já que, quando alguém perguntou sua idade, ele não quis responder. Se você está curioso, é 55, mas isso realmente não importa. Mesmo sem o respaldo de uma grande gravadora, Djavan mantém-se um músico completo, refinado e ao mesmo tempo popular. E isso é para poucos.


Veja mais:


  Djavan e Sony: uma separação sem traumas
   Disco:  Vaidade
     Ficha técnica, faixas e compositores

Matérias relacionadas:

  Djavan faz remixes de sucessos e canções obscuras no CD Na Pista, Etc.
  Djavan lança CD Vaidade na Fundição Progresso
  Djavan deixa a Sony e cria selo

 
Graça Music anuncia novidades à imprensa

Grupo Toque no Altar nos Estados Unidos

Metade do Pink Floyd em disco ao vivo de David Gilmour

Oasis mantém o (bom) padrão com Dig Out Your Soul
 
Confira outras matérias
desta seção
 

 

       

 
 
Copyright 2002-2008 | Universo Musical.
É proibida a reprodução deste conteúdo sem autorização escrita ou citação da fonte.
 
Efrata Music Editora Marcos Goes Marcelo Nascimento Dupla Os Levitas Universo Produções