Busca

O UNIVERSO MUSICAL
Quem Somos
Expediente
Cadastro
Publicidade
Fale Conosco
LINKS EXTERNOS
Blog
Universo Produções
Site Marcos Bin
Orkut
MySpace
Enquete
Você é a favor do ensino obrigatório de música nas escolas, como defendem alguns artistas? Acesse nosso blog e dê sua opinião!
  Um jazzista ainda surpreendente

Divulgação
George Benson está lançando o CD Live e preparando um disco gravado em 2005 no Brasil, ao lado de músicos nacionais
Por Marcos Paulo Bin
29/10/2005

Jazz, soul, r&b, blues, pop. Goerge Benson é mestre nesses estilos musicais há mais de 50 anos, desde que começou a carreira, aos 8. Hoje, com 62, o ritmo não é mais o mesmo dos anos 70 e 80, quando lançou álbuns lendários como Breezin’ e Give Me the Night – este último considerado uma obra-prima da música negra americana. Mas a técnica e a musicalidade do cantor e guitarrista americano ainda surpreendem, como mostra o CD Live – Best of George Benson (Universal).

O disco foi gravado em 2000, num show realizado no Waterfront Hall, em Belfast, Irlanda. O músico viajava com a turnê do álbum Absolute Benson, trabalho basicamente jazzístico gravado naquele mesmo ano, e estava acompanhado de feras como Michael White (bateria) e Joe Sample (piano), além da BBC Big Band e da Ulster Orchestra.

Coletâneas e discos ao vivo de George Benson são bastante comuns, mas este Live... tem alguns bons diferenciais. O primeiro deles é qualidade sonora, que, embora não seja a ideal, é bastante razoável. Outro é o repertório, pequeno porém essencial. São apenas 10 faixas que concentram realmente o que de melhor Benson produziu e mostram um pouco de suas várias facetas.

O jazzista aparece em This Masquerade; o virtuose da música instrumental, em Breezin’; o baladeiro romântico, em Love x Love; o rei do groove, no funk Never Give Up a Good Thing; e o hitmaker, em Give Me the Night e On Broadway.

Uma boa surpresa é a presença da música The Ghetto, cover de Donny Hathaway, que o cantor gravara em Absolute Benson e que não costuma figurar em coletâneas posteriores. Algumas canções famosas ficaram ausentes, como In Your Eyes, Kisses in the Moonlight, Greatest Love of All e Nothing's Gonna Change My Love For You, mas não fazem falta.

O terceiro, último e maior diferencial do CD é a forma como as canções são executadas. Live... flagra um George Benson inspirado e muito à vontade no palco, visto e ouvido por uma platéia empolgada – algo nem sempre comum na Europa. O som um pouco abafado não atrapalha a performance fantástica de Benson na guitarra e de Joe Sample no piano, em improvisações típicas do jazz mas com um ótimo tempero pop.

A segunda faixa, This Masquerade, tem quase oito minutos e é repleta de solos improvisados da dupla. Benson exalta a atuação do pianista, o que repete mais tarde, depois de The Ghetto, composta por Sample. É o mesmo improviso que marca as instrumentais Breezin' e Hipping the Hop e o hit Give Me the Night, que leva o público ao delírio. Vale destacar também a guitarra bluesy na balada Love x Love.

O final é arrebatador, com o maior sucesso de Benson, On Broadway, que dura quase 10 minutos. Nas graças do público, depois de Give Me the Night, o cantor cita o rap Whoomp! (There It Is) e imita o som de uma bateria com a boca, enquanto Joe Sample e o Dio Saucedo dão toques latinos à canção. Imperdível, assim como todo o disco.

Cantor gravou disco no Brasil

George Benson é um velho conhecido dos brasileiros. Em 1980, no álbum Give Me the Night, ele gravou as músicas Dinorah Dinorah e Love Dance, de Ivan Lins, seu amigo. Em 1984, tocou guitarra no CD Juntos, de Ivan, e no ano seguinte apresentou-se no Rock in Rio. Voltou ao país em 1989, para participar do extinto Free Jazz Festival.

Em 2004, a Som Livre lançou The Very Best of George Benson, uma das melhores coletâneas do cantor, com generosas 20 faixas. O CD vendeu mais de 100 mil cópias, conquistando disco de ouro.

Este ano, George Benson retornou ao Brasil para uma série de shows em algumas capitais. Nos estúdios Mega, em São Paulo, ele gravou o que será seu próximo disco, tocando apenas com músicos brasileiros, entre eles Toninho Horta (violão) e Arthur Maia (baixo). O repertório traz músicas brasileiras como Tanta Saudade (Djavan e Chico Buarque), Amazonas (João Donato) e Aquarela do Brasil (Ary Barroso).

“Quando alguém vem para cá, fica impregnado de uma atmosfera que não existe em nenhum outro lugar do mundo”, derreteu-se George Benson, durante as gravações, em depoimento à revista “Guitar Player”.



Veja mais:


   Disco:  Live – Best of George Benson
     Ficha técnica, faixas e compositores
 
Graça Music anuncia novidades à imprensa

Grupo Toque no Altar nos Estados Unidos

Metade do Pink Floyd em disco ao vivo de David Gilmour

Oasis mantém o (bom) padrão com Dig Out Your Soul
 
Confira outras matérias
desta seção
 

 

       

 
 
Copyright 2002-2008 | Universo Musical.
É proibida a reprodução deste conteúdo sem autorização escrita ou citação da fonte.
 
Efrata Music Editora Marcos Goes Marcelo Nascimento Dupla Os Levitas Universo Produções